Páginas

27.7.16

tem que ter um motivo?

Ontem dei a louca e resolvi mudar total o blog. O layout no caso. Depois que eu mudei parei pra pensar e: por que eu fiz isso? As respostas que me vinham não passavam de deu vontade, eu quis, etc. E já não é motivo o bastante? Por que tudo tem que ter um motivo/uma causa maior? A tatuagem nova só é aceita se tiver um belo significado. A viagem pra Índia é quase que inaceitável quando se tem EUA ou Europa no mapa. Eu já fui muito dessas de se perguntar demais o motivo das coisas. E concordo que existem coisas que merecem e devem sim ser questionadas. Nem tudo se faz só por vontade própria, claro. Nós vivemos rodeados de outra pessoas. Não posso fazer algo que vai prejudicar o outro só por que deu vontade. Mas também concordo que existem coisas que às vezes as pessoas só querem fazer. Acho que vem muito da pressão que é colocada em cima das pessoas. Tudo tem que ser muito bem justificado. Se você faz uma coisa nova precisa ter uma motivação maior. 

Se você estuda o ensino médio é pra chegar na faculdade. Chega na faculdade é pra conseguir um emprego. Termina a faculdade faz a pós pra conseguir emprego melhor. Se você namora é pra noivar. Se fica noivo tem que casar. Se casa precisar comprar uma casa. Compra uma casa por que quer ter filho. 

NÃO! Eu posso estudar o ensino médio, terminar e fazer freela viajando pelo mundo. (Talvez não seja tão fácil. Mas não é impossível) Eu posso casar só ter filho 15 anos depois (ou nem ter). Como se a vida fosse uma corrida contra o tempo. Tá namorando? casa logo, tem filho logo. Tá no ensino médio? corre pro vestibular, segue carreira militar, faz concurso público. Essa pressa em fazer coisas, conseguir coisas é o que desenvolve muita doença por aí. 

Você sai do ensino médio, normalmente 17/18 anos e a galera já vem perguntando o que você quer da vida. E se você não sabe o que quer tá perdido. Você tem que ter uma visão lá na frente. E nem só por idade, tem gente que tá ai já trabalhando e ainda assim não sabe o que quer. Eu tenho 17, não sei o que quero da vida, eu tô fazendo faculdade e por enquanto é isso que me move. Super entendo que você precisa de um objetivo, uma meta pra seguir a vida. Mas daí achar que TUDO o que você faz na vida tem que girar em torno disso? Não digo que não tenho metas e não faço coisa pra chegar lá. Eu tenho sim! E luto por elas sim! Mas não é por isso que tudo o que eu faço tem que estar voltado pra chegar na minha meta. Não significa que tudo o que eu faço tem que ter uma motivação maior. Se eu quero viajar o mundo tenho que fazer tudo pra conseguir viajar o mundo. Passar um dia assistindo netflix é abominável. NÃO! 

Passar a vida querendo fazer só coisas que vão me fazer "chegar lá" não faz parte do que entra no meu significado de "viver". Nem tudo o que eu vou fazer vai me levar a ser a "bem sucedida". Nem tudo o que eu vou fazer vai mudar o mundo. E, se eu estiver feliz com isso, tudo bem! 

25.7.16

faculdade de turismo | primeiro periodo

Última semana de julho, última semana do meu primeiro mês de férias. Sim!!! Dois meses de férias!!!! Quando eu soube que seriam dois meses fiquei feliz, claro, agora já não sei se é tão legal assim. Sinto falta da ""rotina"" de faculdade. Mas segue o barco. Passou o primeiro período e eu ainda to naquela de não sei direito o que tá acontecendo mas vou seguindo. Ainda é muita novidade e uma coisa que eu não esperava acontecer, sinceramente não sei como reagir a não ser levar e se deixar levar.

Tinha pensando em escrever esse post pra eu poder ir acompanhando meu desenvolvimento durante os períodos. Depois pensei que era besteira e desisti daí algum dia desses eu tava assistindo um vídeo da Vic que ela respondia perguntas sobre o primeiro semestre dela na faculdade, me senti incentivada a voltar e fazer esse post. Fica ai como lembrança das coisinhas que passei na faculs. Pra começar vale dizer que: amei o lugar onde estudo (apesar de demorar 2h pra ir e 2h pra voltar) e amei a turminha. 

Eu fiz só seis disciplinas que foram as obrigatórias. Transportes e Turismo era a disciplina de segunda, foi a primeira aula que a gente teve e foi bem engraçado porque eu fui pra aula inaugural e não sabia que teria aula depois. Peguei a grade vi lá uma matéria na segunda a tarde mas nem liguei. Daí foi que nessa aula inaugural a professora dessa disciplina falou um pouco e disse "nos vemos mais tarde" eu fiquei bem como assim já tem aula hoje???? Detalhe: minha mãe tinha ido comigo, eu coloquei a agenda (eles deram uma agenda no dia da matrícula ♥) na mochila ela disse "você só vai levar isso, não vai levar caderno?" e eu "mas é claro mãe, é só aula inaugural não preciso levar nada" QUEM DISSE Gastei umas três páginas da agenda só anotando coisa daquela aula. Passei a ouvir mais o que minha mãe diz. Enfim, foi a primeira aula, rolou a aquela série de "Turismo era primeira opção? Por que escolheu Turismo?" etc. E foi legal ver que eu não era a única que a sequência de respostas era "Não. Não sei"

Seguindo, quando peguei a grade e vi essa disciplina fiquei meio ????? e agora eu mesma não entendo porquê eu reagi assim. Agora que eu já tive a matéria faz todo sentido. Turismo envolve viagem. Viagem envolve deslocamento. Deslocamento precisa de transporte. Faz todo o sentido. Fizemos um trabalho junto com os alunos da UFF que a intenção era criar um meio sustentável de ligar Rio e Niterói usando transporte(s). Mas na real meu grupo foi só de pessoas da minha faculdade mesmo então acabou que nem foi junto. Mas tiveram grupos mistos também. Nosso trabalho não ficou bom. Mas consegui uma nota final boa. 

Na terça de manhã tinha Meios de Hospedagem e sinceramente foi a disciplina que mais me decepcionou, tinha colocado uma expectativa enorme. Eu achei que a professora não sabia (?) dar aula direito. E na real nem foi só eu que achei isso, boa parte da turma achou a mesma coisa. Mas segue de aprendizado aí pra não depender de professor né. Mas ainda assim foi muito legal, visitamos duas redes de hotel, o Windsor Copacabana e o Sheraton São Conrado. Fizemos dois seminários que eu curti demais e que meu grupo foi bem. 

Na terça a tarde tinha Produção de Eventos. Enquanto ainda tá na parte teórica é bem chatinha e cansativa mas a parte teórica é necessária pra conseguir fazer o evento, e nós fizemos!!! A turma se dividiu em várias comissões, eu fiquei em alimentos e bebidas (a famigerada a&b) mas na real a gente também cuidou da decoração e limpeza. Eu gostei muito dessa matéria e amei produzir o evento (me senti muito importante). Foi legal ver os pontos fracos e fortes, enfim. Foi muito legal. 

Quarta de manhã era Metodologia Científica. Apenas a melhor professora. Sobre a disciplina eu não tenho muito o que dizer, é metodologia. Apenas que: melhor professora. O trabalho final era individual e foi tipo um mini tcc. Essa prévia já foi o suficiente pra eu me desesperar por esse bendito tcc. 

Quinta de manhã Agenciamento, segunda melhor professora. Foi uma matéria que gostei muito. Apresentamos um trabalho final/seminário, individual também. Cada um tinha um tema, o meu foi passaporte. Eu fiquei muito feliz com o trabalho que apresentei mas pensando agora acho que poderia ter feito mais coisas. A professora elogiou bastante, aliás ela elogiou a turma toda e falou várias coisas legais no último dia foi motivador (e lindo!!!). 

Por fim, na sexta de manhã tinha Teoria Geral do Turismo I. E pra mim foi aquela disciplina pra me acordar e falar OW VOCÊ TÁ NA UNIVERSIDADE sabe? Não que nas outras disciplinas não tenham ocorrido momentos pra me lembrar disso, mas essa foi toda pra isso. Eu peguei prova final ): Mas na real eu já esperava. Gostei que abriu mais meu pensamento pra eu acordar para as coisas que acontecem nesse Brasilzão. 

Também conheci um site e um blog sobre turismo muito legais que estão me incentivando muito, o Panrotas e o Vivenciando Turismo. E apesar de dificuldades em algumas disciplinas passei com louvor e vamo que vamo segundo período. 

20.7.16

22 maneiras de deixar o dia do seu amigo mais feliz

20 de julho. Dia do amigo. Aquele dia que eu paro pra pensar na quantidade de gente que já passou pela minha vida. Na quantidade de amigos que já fiz e o tempo desfez. Mas, desfazer amizade? Eu achava que isso só acontecia no Facebook. Afinal amigo é sempre amigo. Ou não? Eu prefiro acreditar que amizade dura para sempre. Mesmo que passe um tempinho sem contato. Amigo é amigo. Esse diazinho me inspirou a pensar no que eu poderia fazer pra deixar os dias dos meus amigos mais felizes.

1. Ouvir os desabafos
2. Cozinhar
3. Fazer maratona de série 
4. E ficar horas comentando sobre a série
5. Ligar (se não tem crédito liga pelo whatsapp mesmo)
6. Apresentar uma banda/cantor(a) que você acabou de conhecer e acha que ele(a) vai amar
7. Lembrar de momentos engraçados
8. Valorizar as conquistas dele(a)
9. Ajudar/incentivar em novos projetos
10. Pagar um lanche/almoço
11. Fazer algo que você sabe que ele não gosta só pra deixar ele bravinho (e você ficar rindo dele)
12. Ajudar com problemas no colégio/faculdade
13. Não usar o celular quando vocês estiverem juntos
14. Planejar uma viagem
15. Fazer alguma loucura
16. Passar uma dia inteirinho juntos sem nada planejado resolvendo o que vão fazer na hora
17. Assistir Sessão da Tarde
18. Fazer surpresas 
19. Abraçar
20. Fazer algo que ele gosta pra deixar ele feliz
21. Jogar cartas/jogos de tabuleiro 
22. Deixar claro que ele não está sozinho

Ah, e sabe aquela história de "dia das mães é todo dia"? Dia do amigo também é todo dia! Sinta-se livre pra dizer "feliz dia do amigo" todos os dias.

19.7.16

procurando mais segundas como 18 de julho

Clem Onojeghuo
Ontem fui com umas amigas assistir o filme mais falado das últimas semanas. Na verdade a gente pretendia assistir caça fantasmas porém euzinha cheguei atrasada e tivemos que pegar a próxima sessão que, no caso, era Dory. Eu nunca assisti Procurando Nemo. Pois é. Eu só queria deixar registrado algumas coisas que me chamaram atenção. 

Às vezes a gente precisa depositar tua confiança em alguém que talvez tenhamos acabado de conhecer. Como a Dory confiou no polvo pra ajudar a ela. Às vezes a gente cria uma amizade quando menos espera. E, olhando pela visão do polvo, às vezes a gente só precisa dar lugar. Vai ter aquele momento que a gente vai estar desgostoso da vida, chateado com alguma coisa que aconteceu, pode ser que tenha passado muito tempo e aquilo continue não nos deixando viver em paz. Mas a gente precisa é dar lugar pra que coisas novas entrem. Esquecer o passado e dar chance ao novo. 

Outra coisa, pode ser que a gente precise tomar exemplo de outro pra saber como agir como também pode ser que a gente precise olhar pra nós mesmos. Quando o peixinho pai do Nemo não sabia o que fazer ele pensou "O que a Dory faria?" Depois contou isso pra ela, quando ela precisou tomar uma decisão pensou "O que a Dory faria?" e conseguiu chegar aonde queria. A Dory precisou de alguém pra mostrar a ela que a solução estava nela mesma. Em agir como ela mesma agiria. Se eu for como eu realmente sou eu consigo chegar aonde quero. 

Dory também não desistiu. E valorizou os amigos. Ela já tinha conseguido o que queria, pra quê ir atrás dos outros peixinhos? Mas eles eram amigos. Ela valorizou essa amizade. E precisou dos outros amigos pra conseguir chegar neles. Entendo que nessa vida a gente sempre vai precisar de alguém, por mais independentes que sejamos. E que sempre teremos algo pelo qual correr atrás, algo que nos move, algo que nos faz viver. 

Depois do filme encontrei uma outra amiga que não via fazia um tempinho, comi um hambúrguer do Burger King que era muito apimentado e depois descobri que tinha ralapeño, mas era muito bom. Ficamos conversando (e rindo muito) depois voltei pra casa e fechei comendo pipoca assistindo novela.

Por mais segundas como essa.

14.7.16

maio + junho/2016

Eita que já é o sétimo mês do ano. Maio e junho os dois últimos meses do primeiro período da faculdales. Teve trabalhos? Teve trabalhos. Teve o famigerado desespero de fim de período? Teve sim. Mas estamos aqui, passei, tive que fazer provinha final em uma das disciplinas mas consegui um 8 do amor, nas outras as notas também foram bem legais e vamo que vamo segundo período!!!
Ainda sobre faculdade, em maio fizemos (a turma) uma visita técnica no hotel Sheraton de São Conrado, foi MUITO legal. E eu e o grupinho fomos no Museu de Ciências e Terra que fica bem ao lado da faculdade e é de graça (\o/). 


Assisti as mesmas seriezinha, White Collar, Brooklyn 99 e Unbreakable Kimmy Schmidt. Eu e uma amiga começamos um semi clube de filme (???) Mas até agora só assistimos um filme que foi Oranges and Sunshine, gostei, achei inspirador mas penso poderia aprofundar mais. Antes de a gente começar o """clube""" eu assisti Histórias Cruzadas, que eu gostei muito; Domingo de chuva, que achei muito lindo; Perfume de mulher, que também achei muito lindo e As coisas impossíveis do amor que eu não lembro muito bem o que achei, sei que não gostei tanto quanto os que citei antes. Eu juro que queria ser melhor mas como vocês podem perceber eu pra descrever/criticar filmes sou tipo Glória Pires. 

Em maio (eu acho) conheci o canal reVisão e rapaz, que canal!!! É divertido, você (quer dizer, eu consigo acho que você também) consegue aprender e absorver fácil, gosto muito. Conheci também o canal do João Bertoni, amigos, esse rapaz, olha, meu crush de amizade, conheci ele faz pouquinho tempo (foi em maio também) e já é (mais uma) inspiração pra eu ser quem eu sou e melhorar a cada dia. Também indico um canal que na verdade eu já conhecia mas fiquei com vontade de indicar agora que é o Coisas que nunca vivi (ou evitava viver) ou só Coisas mesmo, do Tavião (aquele do Rolê Gourmet), acho os vídeos leves e divertidos. 

E sobre música, esses meses tenho ouvido muito No silêncio do Ministério Zoe, 17 de janeiro d'Os Arrais, Graça do Jeosafá Pimentel e Meu coração é Teu do Ton Molinari. Claro, ouvi muitas outras mas as que mais estou ouvindo/amando são estas.
Me fala o que rolou nesses últimos meses ai na tua vidinha também.

6.7.16

fazer pão e amizades

Esses dias estava conversando com Deus. Acontece que, lá na igreja que congrego entramos num "desafio" (?) (não sei como chamar isso), mas é basicamente um amigo oculto de oração, amigo intercessor, amigo de oração, enfim, funciona como um amigo oculto mesmo, cada um tira o papelzinho com um nome, sendo que o presente que você vai dar pra essa pessoa não é chocolate ou alguma coisa até um limite de preço. O presente é o melhor de todos: a oração. Uma semana orando por aquele pessoa, meu líder ainda completou: tudo aquilo que você pediria para você mesmo, peça para pessoa que você tirou. 

Então um dia estava conversando com Deus sobre amizades, sobre a pessoa que eu tirei e o ciclo de amizades dela. Me veio a lembrança o que o líder tinha falado de pedir pela pessoa o que você pediria pra você. Eu lembrei que tenho uma amizade que sinto muita saudade, que faz tempo que não nos falamos e quando falamos são conversas rasas. Pensei, talvez a pessoa que eu tirei também tenha alguma amizade que sente falta. Comecei a orar por isso, como se fosse pra mim, pedi pra Deus colocar no coração da pessoa que eu tirei tudo o que eu queria que Ele colocasse no meu coração. Daí Ele, sendo maravilhosinho como é, colocou algo no meu coração pra me acalmar. 

Seguinte, o processo de fazer pão, simples, básico. Aqueles ingredientes normais, água, óleo, sal, farinha e o tal do fermento. Fermento pra massa crescer, render um pão bem grande (ou vários menores) e fofinho. Quando você mistura os ingredientes você precisa deixar a massa um pouco descansando, pro fermento trabalhar o cumprir o papel dele no pão. Minha mãe coloca até a vasilha com a massa no forno (desligado galere), ela diz que o escuro do forno ajuda. Se você não deixar a massa descansar o tempo que precisa a massa não rende, não cresce um pão bem grande (ou vários pãezinhos), não fica fofinho e gostoso de comer.

E qual a relação disso com amizades? Simples. Às vezes, existem amizades na nossa vida que a gente precisa deixar descansar, e esse descanso pode ser escuro (como o interior do forno), pode te deixar abalado ou triste. Mas de que adianta uma amizade que não rende? Às vezes a gente precisa abrir mão de um tempinho de amizade com alguém pra que essa amizade cresça. Pode ser que doa mas o resultado compensa.