Páginas

13.8.16

a arte de esperar

Toda aquela inspiração dita no post passado voou pra um lugarzinho que olha eu não tô sabendo chegar. Os objetivos pra cada dia eu continuo seguindo. Talvez não esteja rolando uma constância. Mas está acontecendo. 

Já estamos caminhando pra metade de agosto. Aquele mês que dizem durar um ano resolveu surpreender dessa vez e durar, olha só, um mês mesmo. Quase metade do mês e ainda não rolou aquele post onde eu conto um pouco do meu mês, o que eu fiz/ouvi/li etc. A explicação é simples e sincera: não me deu vontade. Parece meio egoísmo. Soa agressivo. Mas digo (escrevo) isso com toda a paz que eu posso ter. É legal, bom, agradável se permitir não ter vontade. Se permitir "não ser obrigada". Comecei a escrever nesse bloguinho aqui pela vontade de colocar pra fora meus pensamentos. Pela vontade de guardar alguns dos momentos legais que vivi/vivo. Pela vontade de em todo post que fizer deixar alguma mensagem pra pessoinha que estiver ai do outro lado lendo. E daí aos poucos (e mesmo com pouquíssimo tempo que criei blog) a coisa de compartilhar sobre o meu mês já estava virando uma obrigação. 

Fiquei um tempinho sem escrever aqui e olha foi bom. Bom pra que eu entenda o motivo de ter começado a escrever. Bom pra entender que, como eu já disse, criei pela vontade de deixar uma mensagem pra cada pessoa que ler os posts. E eu tinha perdido isso. Não gosto de estabelecer mudanças do tipo "agora vai mudar". Não vou chegar aqui e dizer que "a partir de agora vai ser diferente". Mas talvez seja diferente sim. Mas porque algo que é pessoal muda conforme quem está no seu controle muda. Se você ver alguma coisa mudando aqui. É por que eu estou mudando. É por que tem Alguém me mudando. Sim, tem alguém me mudando e eu não tenho vergonha de falar isso. Eu me permito ser mudada por Alguém que vai me tornar uma pessoa melhor.

Eu queria pedir pra você ouvir Me espera, aquela da Sandy c/ Tiago Iorc. Provavelmente você conhece, ou já ouviu falar. Um tempo atrás eu li esse post. Achei lindo nossa muito bom etc e passou. Esses dias essa música apareceu pra mim novamente. Lembrei do post. Comecei a ouvir a música. Chorei. De verdade. Eu me emocionei com essa música. Com essa letra. E eu só posso aceitar que essa letra foi inspirada por alguém maravilhoso. Que nos cerca. Que nos guia. Que nos consola. Que caminha conosco. Que está aí do seu lado agora. Esse alguém é o Espírito Santo. Enviado por Deus a nós. Chorei pois lembrei que tem alguém que "volta já". Ouvindo/cantando essa música eu falo com Ele e ouço a resposta dEle. 

Ainda sobre a espera. Em algum lugar eu li que "a espera é o que a gente faz dela" ou alguma coisa parecida. Tipo algumas dessas frases prontas reflexivas que a galera posta como legenda de selfie. Mas que faz sim algum sentido. Juntando a letra dessa canção com essa frase eu vejo que quando a gente reconhece que tem alguém maior no controle. Quando a gente se aproveita da espera. Quando a gente entende que a espera não precisa ser (E NÃO É) aquele espaço de tempo entre um acontecimento e outro. Quando a gente não se acostuma com "esperar significa não fazer nada". Quando a gente faz a diferença na espera. Quando a gente faz da espera um tempo glorioso. Tudo muda. Ai entra a paz. A esperança. O alívio. E mesmo quando nos perdemos, perdemos o chão, o foco, caímos, deixamos que o temporal nos assuste. Temos um olhar, o Único olhar que nos guia de volta para a paz, a esperança, o alívio, o aconchego, o amor.